9.03.2019

Ela anda cheia de dores...

Há já umas semanas que a Isabel se vai queixando. Não todos os dias, mas sempre que o faz, é à noite, antes de ir para a cama ou já depois de estar deitada. Diz que lhe doem os pés, na parte de cima, nas pernas e nos joelhos. Pede-me massagens e passados uns 20 minutos melhora. 

"São dores de crescimento", disse-lhe. "Estás a crescer muito, meu amor."

Acho que, de certa forma, lho disse para ter uma razão e para ser mais fácil de suportar. Faço-lhe massagens sempre que me pede, ali na zona de trás dos joelhos, nos gémeos, nos pés. 

Lembro-me, como se fosse hoje, das dores que eu também tive. Foram anos. Fazia bastante desporto  (quase todos os dias) e associávamos a isso. Os médicos sempre desvalorizaram. E a verdade é que, até hoje, não há uma razão já comprovada para estas dores, pelas pesquisas que fiz. É estranho serem realmente dores de crescimento, já que as fases em que mais crescemos não são estas (mas sim logo nos primeiros dois anos e mais tarde, novamente), mas assim ficaram apelidadas.

Vou marcar consulta dos 5 anos e logo vejo com a pediatra o que aconselha. Partilhei esta dúvida no meu instagram e uma mãe disse-me que foi a ver e afinal a filha tinha uma escoliose ligeira. Noutro caso, falta de vitamina D e que, depois de começar a tomar de novo, melhorou. Às vezes, podem ser outras coisas associadas, não saberemos.

A pose ;) Coisa mais querida!

Algumas mães recomendaram-me massagens: nuns casos com um gel fresco, noutros com pachos de água quente. Li também que a natação ajudará, já que é de baixo impacto. Mas vou falar com quem sabe.

E vocês, já passaram pelo mesmo? E os vossos filhos?



6 comentários:

  1. nas minhas gémeas, uma delas sofreu horrores... acordava a meio da noite aos gritos, às vezes nem com massagens ficava bem e tinha que recorrer ao nurofen. mas a minha era mais pequenina, por volta dos 2/3. Agora acontece às vezes, mas muito mais pontualmente, e já está muito mais tolerante à dor por isso aguenta-se melhor. (já tem quase 8 anos.... OMG, 8 anos!!! :o :o :o)

    ResponderEliminar
  2. Olha eu lembro-me bem dessas situações que se passaram comigo. Algumas vezes os meus pais foram comigo para o hospital a meio da noite...na verdade eu só tinha medo, ansiedade de ir para a cama, estar no escuro, era uma altura em que me começava a aperceber da morte e ficava nervosa. A minha irmã também se queixava muito com dores e eu dizia-lhe que ia buscar o creme, molhava as mãos com água fria, esfregava-lhe as pernas e ela ficava óptima ;) Não acho que se deva desvalorizar, obviamente, e eu sou uma pessoa hiper preocupada com essas coisas, mas partilho as minhas "dores de crescimento", para aliviar um pouco. Beijinhos*

    ResponderEliminar
  3. De facto é sempre melhor falar com que sabe...o pediatra ou ortopedista pediátrico! A minha filha tem 3 anos e nunca se queixou com esse tipo de dores, mas eu lembro-me muito bem de as ter. Seria mais velha que a Isabel, mas não me recordo ao certo que idade tinha. Lembro-me de ter imensas dores nas pernas e nas ancas. A minha mãe levou-me a um ortopedista pediátrico que me diagnosticou uma escoliose ligeira, e dores passaram através do uso de uma palmilha num dos pés... As melhoras da Isabel.

    ResponderEliminar
  4. A minha de 3 anos queixou se durante muito tempo de dores no pescoço, mais propriamente na parte de trás. Ao fim de alguns meses fomos ao médico. Fizemos raio x e tudo. Nada a apontar disse que se fosse nas pernas poderia ser do crescimento. O meu marido lembrou se que podia ser da almofada ser alta de mais. Começou a dormir sem almofada e passou. Raramente se queixa e quando acontece é por estar cansada. Por isso veja o calçado dela e faça experiências. Uma ida ao médico ajuda também ;) as melhoras!

    ResponderEliminar
  5. Não me lembro de passar por isso. Para os médicos, são de facto dores de crescimento?

    ResponderEliminar