4.08.2019

Fiz o Coito com 121 pessoas.

Podia ser um segredo do Big Brother ou afins, mas não. Nem por isso. Posso até dizer-vos que entre essas 121 pessoas estava António e Catarina Raminhos. Ah, não estavam à espera deste momento, pois não? Também estava Joana Paixão Brás (eu não vou ao casamento dela, mas ela para o Coito está sempre pronta) e, que vocês conheça, de "malta" não estava mais ninguém. 

Mas afinal o que é isto? Esta pouca vergonha? 


Sabem vocês tão bem quanto eu que a norma não é apoiarmo-nos uns aos outros. Estamos cada vez mais afastados pelo ritmo do quotidiano (já devo ter usado esta expressão umas 88 vezes em testes de história, isso é "em busca de melhores condições de vida") e isso faz-nos sentir mais sozinhos e, falo por mim, mais paranóicos. 

Com a tendência de nos sentirmos culpabilizados e responsáveis por tudo, acabamos por carregar tudo o que existe às costas e isso deixa-nos sem energia, sem vida. Estarei a ser assim tão dramática ou.. será realista? Isto generalizando, claro.

Se há coisa que ajude é mudar a rotina e sair (daí também o convite para o Coito) e ajuda também ouvirmos falar outros pais - sem merdas - sobre aquilo que têm sentido. Isto inclui todas as inseguranças e acidentes. Ou até mesmo aqueles pensamentos mais horríveis como "preferia muito mais quando estavas dentro da minha barriga e estavas caladinho". 

O Coito é um lugar seguro onde os pais podem ser eles mesmos e onde juram que irão partilhar aquilo que mais os inquieta, isto tudo untado com sentido de humor. Há quem diga que rir é o melhor remédio, mas já se calava que já não o posso ouvir. O humor aqui faz com que nos ríamos de nós próprios, da nossa missão, da natureza humana. 

Precisamos de descontrair. O Coito é um sítio onde eles (os nossos filhos) não nos apanham a falar mal deles. Além de, em princípio, também ser o nome dado àquilo que terá sido praticado quiçá na parte de trás de um Seat Ibiza perto da Ponte Vasco da Gama e que deu origem às mini-pessoas que passeiam por nossas casas.

Sábado que passou foi a estreia do Coito - Aqui os miúdos não nos apanham a falar mal deles na Fábrica do Braço de Prata. O David Cristina e eu, além de parecermos um casal recém casado na fotografia em baixo, fomos os hosts e os primeiros a desabafar relativamente àquilo que nos apoquenta no que toca à parentalidade.

Bom vestidinho, não é? Da Zara, migas. Ainda encontram. Quanto ao soutien, uma salva de palmas pelo trabalho difícil que está a ter de levantar aqueles dois lombos.

Depois de desabafarmos, numa sessão de terapia paga (por vocês), convidamo-vos a falar connosco.

Vocês sabem que raramente temos tempo para pintar as unhas, tive que aproveitar os meus primeiros 10 minutos da semana para o fazer. O David Cristina teve imensa piada, ri-me imenso, mas aqui estava preocupada porque ia passar para a mão direita e estava a pintar de preto - vocês sabem. 


Soubemos aquilo de que tinham mais saudades antes de terem filhos e ainda ajudamos a mãe Joana (outra) a aliviar a sua tensão por dois anos e tal de noites más dormidas e também a amamentar.

A Irene que não veja esta fotografia que está ali a Maria Isabel a levar uma palhaça ou lá como é que ela lhe chamou. 
Bom, já que estava ali... 

Lá continuámos a apresentar e tal. Lá estão vocês a tentar retirar conclusões relativamente ao meu peso e a fazer apostas no Whatsapp que poderei estar grávida... 


Depois, já que tínhamos convidado o António e a Catarina Raminhos para virem ao COITO, achámos por bem chamá-los a palco.  Correu tudo muito calmamente, sem grande reboliço, confesso.



É. O expectável. Nada de especial.

Não vos posso dizer do que estávamos a falar. Mas incluía ... não posso, mesmo. Ahhh...

Foi óptimo. Eu gostei. A malta diz que gostou. Os Raminhos foram simpáticos e disseram que também. A babysitter que eles contrataram também deve ter ficado contente. Agora só faltam vocês.

As convidadas da próxima semana são: Filipa Galrão (radialista da Mega Hits e muito mais, uma das minhas melhores amigas, por exemplo) e Joana Azevedo (radialista da Rádio Comercial, que nunca conheci, mas que tenho uma web crush por ela e estou muito curiosa por conhecê-la).

Sexta-feira, 12 de Abril, 21h30 na Fábrica do Braço de Prata, mais um COITO. Vêm?



Podem comprar os bilhetes aqui, quem vier, avise :)

Quero agradecer à minha Susana por ter feito o favor de fazer a porta, ao Tiago Maltez da Ponte Media pelas fotografias, à Oland Creativity pelo conceito, marca e ilustrações e, claro ao David Cristina por querer fazer isto comigo.



O David e eu gostámos. Acho que aqui está a prova disso :) E de que havia gente também, que não pusemos ali umas silhuetas de cartão só para enganar.

Vá, mais uma prova:



Obrigada a todos os que foram (a ti também, Joana Paixão Brás). Para a semana há mais :) Lá vou ter de ir comprar mais um vestido...







Sem comentários:

Publicar um comentário