8.15.2016

Tivemos medo. As duas.

Ontem, à saída de casa para ir ter com o tio Pedro (meu irmão), como sempre, deixei a Irene carregar para chamar o elevador. Entrou à minha frente rapidamente - coisa que um familiar nosso odeia, porque viu algures (claro que foi na internet) que, às vezes, as portas do elevador até se podem abrir mas não estar lá elevador nenhum (só não digo quem é porque não quero revelar pormenores tão medricas de quem não perguntei se podia hehehe) e perguntou se podia carrregar no zero. Deixei. 

Chegámos ao zero e saí. A porta fechou-se a Irene continuou dentro do elevador. Desceu até ao menos um, para onde também tinha carregado. Gritei, com a boca colada ao elevador "não saias do elevador, Irene, não saias!", pensei que assim voltaria logo para cima. Nem me lembrei da possibilidade se ela sair demasiado tarde e poder ficar entalada na porta (o nosso elevador é um bocadinho bruto a fechar as portas). 

Enquanto o elevador descia, com a minha filha lá dentro, ela gritava "ANDA COMIGO, MÃE!". Ainda não estava minimamente assustada, creio que estava só a explicar que não entendia porque é que não estaríamos juntas. 

"A mãe vai já, só um minuto! Não saias do elevador, Irene, não saias!". 

Saiu. 

Desci eu e fui ter com ela. Ainda demorou - quer dizer, não deve ter demorado, mas para nós sim. Cheguei lá no timing perfeito em que ela começou a ficar assustada. A luz do hall onde ela tinha ficado, por causa do sensor, já se tinha apagado. Chegou a mamã. 

Sei que é um episódio com nenhuma gravidade, mas ao contar, sei que HOJE vão ter atenção a isso e, por isso, talvez vos poupe a uns segundos de coração acelerado. 


O dia continuou como sempre. Não foi nada. Especialmente para ela, digo eu. 

Tive de lhe comprar estas boias, porque as de plástico estavam a magoa-la nas axilas. Aconselho vivamente!


Sigam-me no instagram @JoanaGama
e o @aMaeequesabe também ;)

18 comentários:

  1. Olá Joana onde compro estas boias? Obrigada. Nós não temos elevador temos mesmo de subir e descer "à pata" ;)

    ResponderEliminar
  2. Bem que stress!!!
    É por isso que entro sempre primeiro e saio sempre depois mas mesmo assim sempre a rezar para tudo correr bem!
    Ah! E sou como esse teu familiar sempre com medo que as portas abram e o elevador não esteja lá...

    ResponderEliminar
  3. Já aconteceu connosco tb! Mas o meu não saiu do elevador e eu chamei novamente para o piso k estava e lá veio ele...

    ResponderEliminar
  4. Joana, eu tenho um pouco de medo de elevadores depois de ter ficado presa num, na noite de Natal, quando tinha uns 10 anos, e esta história deixou-me o coração mirradinho pq acho que se fosse comigo tinha entrado em pânico. Ainda bem que a Irene reagiu bem. :) bjs

    ResponderEliminar
  5. Susto apanhei eu quando a minha , enquanto eu procurava as chaves com uma mão e lhe dava a outra mão, segurou a porta do elevador, e ficou com a mãozinha presa quando as portas recolheram... Fiquei tão aflita que nem consegui pensar logo qual era o símbolo em que devia carregar para a porta abrir...Felizmente não foi nada de grave, só ficou um bocadinho inchada.

    ResponderEliminar
  6. Bem que susto! No meu prédio não há elevador e na família próxima ou vivem em moradias ou prédios também sem elevador, então o meu filho só anda em centros comerciais. Mas normalmente ele entra primeiro, mas sai depois, um de nós fica em frente ao sensor para as portas não fecharem. É algo tão automático que nem tinha pensado nisso, pelo menos o post já serviu para ter cuidado numa próxima vez!

    ResponderEliminar
  7. Adorei as braçadeiras e obrigada pelo testemunho ufaaaa que susto! Donde são as braçadeiras? Beijocas

    ResponderEliminar
  8. Moro em Angola, onde as falhas de energia são constantes e onde as paragens de elevadores também. Mudei para um sétimo andar. Tenho 2 filhos, um de 7 e um de 3. As regras foram logo impostas para andar no elevador: nunca sozinhos, um carrega no botão do exterior do elevador (o mais novo) e outro no interior, para não haver discussão; só entram no elevador quando eu ou o pai autorizam e têm sempre de ver o chão do elevador primeiro; se formos os 4 entra um adulto, as crianças e um adulto, se só formos 3 entram as crianças primeiro, mas comigo a bloquear a porta. É frequente haver pessoal preso nos elevadores aqui quando há falhas de corrente e os geradores demoram a arrancar. Assusta-me ainda mais o facto dos nossos elevadores não sinalizarem os andares onde estão. Por isso comigo são sempre cuidados redobrados. Agravante: o elevador social do meu prédio não tem escadas!!!!! Medo, muito medo!

    ResponderEliminar
  9. Que susto...
    Conheço uma pessoa a quem aconteceu isso das portas abrirem e o elevador não estar lá. Acontece mesmo. :/

    ResponderEliminar
  10. No meu premio ja morreu um cao porque a porta abriu e o elevador n estava.
    Cuidado..

    ResponderEliminar
  11. Conheço um caso que originou morte por não estar o elevador quando a porta se abriu, o senhor era cego para agravar a situação e foi no local de trabalho. Também temo isso quando os meninos vão à minha frente. Prevenir é sempre bom :)

    ResponderEliminar
  12. Num hospital no centro do país há alguns anos morreu um sr porque a porta abriu e o elevador nao estava lá...

    Sempre que vou a esse hospital afasto-me da porta para ela se abrir e eu ver de longe que está lá o elevador. Mas de resto nem penso muito nisso.

    ResponderEliminar
  13. Presenciei um episódio desses nestas férias. Foi assustador! Minutos de terror! Um casal, com tres filhos. Um deles, entrou no elevador, mal abriu a porta.... O elevador nao estava lá. Estava no andar debaixo. Fechou-se a porta, o pai a tentar abrir... um caus vivido em poucos minuitos. Acabou por correr tudo bem. Mas acontece...

    ResponderEliminar