5.27.2019

As mulheres não são nada umas cabras

Estou neste momento a ver o Banana-papaia. Para quem ainda não sabe o que é, é o novo projecto da Joana Gama. 

Somos amigas há cinco anos. Trabalhamos as duas juntas, neste blogue, há quatro anos e meio. Vamos vibrando e apoiando os projectos paralelos uma da outra. Se vissem o meu coração minutos antes de cada espectáculo que vi da Joana Gama, percebiam o nervosismo por ela e o entusiasmo. Ri-me tanto. E eu não me rio com humor com facilidade. 

Quando ela começou a ser side-kick do Unas no Maluco Beleza, vi tudo religiosamente. Torci para que não acabasse nunca (que me desculpe a menina que estava lá antes). E ri-me tanto. Tanto talento e tanto prazer a fazer aquilo. As bujardas a sairem no momento certo. Cheguei a chorar a rir, com a "meia de leite". 


Quando me falou deste Banana-papaia com a Rita Camarneiro (que adoro!), e fui vendo os logos e as fotografias, já sabia que ia ficar incrível. Têm as duas uma energia enorme, têm graça e são autênticas. Ia escrever "loucas", mas chateia-me esse adjectivo para caracterizar pessoas que são genuínas e falam com poucos filtros. Se calhar faltam mais pessoas loucas no mundo então. Quando a "loucura" não prejudica outros, é só bem-vinda.

O programa está excelente. Elas são lindas, o cenário está giro e - o mais importante - o balanço entre rambóia e conversa séria está no ponto. Passa a correr. Ficamos a saber que a Joana Gama teve os lábios do pipi colados durante uma febre, sítios públicos onde já fez amor e que a Rita Camarneiro faz xixi nos WC públicos pondo os pés na retrete. Vejam!

Não gosto nada de ler por aí que as mulheres são cabras umas com as outras, invejosas, etc e tal. Acho que isso é mito ou que será apenas uma minoria. Na minha família, as mulheres são fortes, apoiam-se e torcem umas pelas outras. As minhas amigas são iguais. No trabalho, também nunca senti essa rivalidade tosca. E na internet, também vejo muitos elogios sinceros e gente que se passa a dar, para além do online. Por isso, acreditem em alguém que diz que gosta muito do trabalho de outra mulher. Neste caso de duas mulheres lindas e talentosas. Ainda por cima, neste meio (humor) em que a proporção de mulheres para homens é ínfima. Apoiemos mais aquelas e aqueles em quem reconhecemos valor.

Vejam, vale a pena. Parabéns, miúdas! Vocês merecem.

Sem comentários:

Publicar um comentário