sexta-feira, 27 de maio de 2016

A aproveitar os últimos dias de filha única.

Andamos muito in love as duas - como se fosse possível ser diferente nestes dois anos - mas noto que andamos muito coladinhas, beijoqueiras e carinhosas, a aproveitar bem estes dias.
O último passeio no parque foi assim.



A interpretar com poupa e circunstância o "Já passou!" (alguém me acuda!!!).

Ultimamente tem sido a Minnie a eleita para passear connosco

Não a largou um segundo.





A ver a "menina crescida" descer por um escorrega dos "gandes"

Macaquinha.

quinta-feira, 26 de maio de 2016

Acordem-me: está mesmo quase, não está?

Não estava à espera de estar a reagir assim, nesta fase final da gravidez. Não é que eu seja a pessoa mais stressada e ansiosa ao cimo da terra - acho que sou das boas energias, tenho sorriso e riso fácil e sou optimista - mas achei, ali a meio, que tanta calma acabaria num final de gravidez cheio de dúvidas e alguma ansiedade. Afinal, estou de 38 semanas e está tudo pacífico, no meu corpo e na minha mente. Mas - acordem-me - está mesmo quase, não está?

Mesmo estando neste estado 95% zen, há três pensamentos que me invadem de vez em quando, ou seja, mesmo que o meu coração não dispare e eu não fique cheia de stress, faço-me estas perguntas:


1) Como será que a Isabel vai adormecer nos primeiros tempos?

Apesar de termos tentado que fosse o pai a adormecê-la nos últimos meses (dantes podia ser qualquer um de nós, mas há uns tempos que, sabendo que eu estou em casa, ela quer que seja eu. O pai até pode estar presente, mas eu não posso faltar). Ainda experimentámos simular que eu não estava e foi pacífico, mas não foi o suficiente para que nos outros dias ela não pedisse que fosse eu novamente. Por enquanto, sabe-me bem todo aquele mimo e aquela ronha, como se estivesse a aproveitar todos os momentos ao máximo (tem adormecido a dar-me festinhas - e eu a ela, nas costas - abraçadas e com uns sons amorosos que só me apetece engoli-la de tanto carinho). Mas e depois? E se na hora dela adormecer eu estiver a dar maminha? Ou a Luísa precisar de estar com a mamã? E se ela demorar uma hora a adormecer? Vem para a minha cama e adormecemos as três? Vai compreender e "aceitar" que seja o pai a adormecê-la? 


2) Será que vou ter uma bebé calminha? 

Não, não estou a fantasiar com uma "bebé-come-e-dorme". Regra geral, os bebés não são assim. Estão em exterogestação, precisam de muito colo e mimo e nós estamos cá para isso (e as saudades que eu tenho da minha coala Nr1 coladinha a mim!). Mas será que se vai adaptar bem aos barulhos, às canções e gritos da mana, aos ladrares dos cães, aos passeios? Será mais ou menos chorona do que a Isabel? Será que vai dormir sestas de 20 minutos ou vou ter tempo de tomar um banho demorado? 


3) Vai ser muito duro?

Que não vai ser pêra doce gerir tudo nos primeiros tempos eu não tenho grandes dúvidas, mas como irei eu lidar com tudo isso? Com alguma calma ou vou ter sempre aquele sentimento do "Socorro! No que me fui meter já?"? Como vai reagir a minha cabecinha ao voltar a não dormir muitas horas seguidas? E vou conseguir manter a sanidade, se a Isabelinha começar - como é natural - a precisar de chamar mais a atenção, com birras e tal?


Estou confiante que, no meio do caos, tudo acabe por correr bem. Mas também não vou dourar a pílula, caso não corra como desejado. Preparem-se para ouvir de tudo deste lado, como se estivessem a ouvir a música "piradinhaaaa" em loop, que nestas coisas da maternidade é tudo um bocado imprevisível. 

De qualquer das formas, estou pronta. Estranhamente pronta. Podes vir, Luísa.






Já imagino uma Luisinha pestanuda a dormir bons soninhos na alcofa da Egg <3 

a Mãe sugere: coisas que comprei para a Irene e adorei!

Ando sempre à procura de coisas para entreter a Irene. Ela ainda não anda na escola (só em Setembro) e, por isso, sinto que tenho mesmo que estar atenta a novas actividades ou a coisas novas que lhe vão dando coisas novas para aprender ou experimentar. 



- Bombas do banho da Lush

Vocês não têm noção da loucura que tem sido com as bombinhas de banho. A Susana, uma amiga minha, no lançamento do livro de Lisboa, ofereceu-nos 5 saquinhos com bombas do banho e um catálogo. Eu nem sabia o que era aquilo. Experimentei e estou rendida a tudo! Acham normal? Mudei todos os meus hábitos e agora uso Lush para tomar banho, lavar o cabelo, amaciar, condicionador de banho, hidratante facial, serúm nocturno, máscara fresca...  Tudo super natural, tenho adorado este novo estilo de vida, que é mesmo isso. Tudo por causa da Irene venerar as bombas de banho (e da sugestão da Susana). Se quiserem experimentar, aconselho esta que faz com que eles fiquem mais calminhos e adormeçam mais rápido.






- Canetas de escrever nos vidros da Tiger

Epá, tenho adorado fazer isto com ela. Ainda por cima são mesmo fáceis de limpar, só com um pano húmido. Até aconteceu fazermos desenhos no vidro da sala, a nossa vizinha da frente ter gostado da ideia, também foi comprar e depois ela e o filhote deixaram uma mensagem no vidro para a Irene (um sol e "Necas"). Existem, pelo menos, seis cores. Ela adoooora e também adorou fazer desenhos com a avó Celina.

     
 A video posted by Joana Gama (@joanagama) on



- Plasticina de cera

Experimentei primeiro uma toda natural, mas que secou muito rápido porque ela raramente tapava o frasco. Comprei uma de cera fenomenal que já dura há algumas semanas. Ela tem adorado fazer plasticina e obrigar toda a gente a fazer com ela. Desde ratos, a números a bonecas chamadas Laura.




- Estalinhos da Tinti

Esta não comprei, veio na Bububox deste mês. Não sabia bem do que se tratatava, tinha medo que fizessem muito barulho, mas não. Lembra-se das petazetas? É igual. A Irene adorou e gastou as três carteirinhas todas ontem.


A video posted by Joana Gama (@joanagama) on


- Canetas de soprar da Tiger.

Não temos nenhuma parceria com eles, juro, mas tenho andado louca a construir uma caixa com coisinhas dela para ela brincar connosco, coisas mais artísticas ou esquisitas (inspirei-me na fabulosa Vera do Eu, Ele a Maria e o Miguel) e uma das coisas foram estas canetas de soprar que me remetem imenso para a minha infância de quando o meu pai me trazia coisas das viagens que fazia.

A tal caixa com coisinhas.



A video posted by Joana Gama (@joanagama) on


- Máscara de Tigre.

Foi no aniversário dela. Não lhe liga todos os dias, mas quando liga fico muito feliz. Comprei no Quiosque das Bonecas  no Chiado. É uma máscara de tigre de peluche, não encontro foto na net e não me apetece levantar, mas acho que qualquer máscara servirá.



- Actividades com Papel Higiénico.


Ainda não brincamos com isto. Ela adora o livro porque parecem os desenhos animados que ela vê no BabyTV do Crafty Rafty. A ideia é um dia fazermos juntas qualquer coisa. Ver o livro insipira-me. A ver como corre um dia destes.



- Piano no Jumbo.

Estive quase para comprar um todo complexo na Imaginarium, mas consegui ser espertinha e comprei um por 10 euros no Jumbo que serve perfeitamente o propósito. Ela fica louca com o piano na aula de música e, por isso, tinha mesmo que ser.



A video posted by Joana Gama (@joanagama) on



- Como desligar o seu filho.

Se alguma vez vos faltarem ideias para os afastar dos iPads e afins, este livro dá imensas ideias que, às vezes, de tão simples, nos esquecemos delas: desde jogos de mímica, a buscas de tesouro, a tendas improvisadas. A Irene ainda é novinha para isto tudo, mas hei de por em prática, especialmente a noite à luz das velas para contar histórias e comer pizza. ;)



São algumas sugestões. Querem dar mais? ;) Bom feriado!!!!!!

quarta-feira, 25 de maio de 2016

Fiz amor com uma mulher.

Já estão habituadas aos meus títulos marotos, não já? Este, porém, não está muito longe da verdade. 
Alinhem comigo. 

Estava deitada, despida. A única coisa que me envolvia era uma toalha branca. O quarto estava a média luz, tocava uma música qualquer me fazia lembrar da minha infância (por nada em particular, mas fazia-me sentir livre, como uma criança). De repente, senti nos meus braços (um de cada vez) um quente que me apaziguou. Uma textura dura, mas lisa que parecia abraçar-me aos poucos. Logo aqui senti o meu corpo a dizer-me que já deveria ter passado por isto antes, que esteve 30 anos à espera.

Ela não esqueceu um centímetro do meu corpo. Pontos do meu corpo que eu nunca tinha prestado atenção. Dedos que nunca tinham sentido um toque lento, os meus pés que se sentiram acariciados pela primeira vez, com tempo. Isto pareceu-me ser fazer amor. O calor espalhou-se pelo meu corpo todo e senti-me a brilhar. Nada foi esquecido e tudo foi agradecido. Senti carinho. 

A senhora que nem se apercebeu de tudo o que me estava a passar pela cabeça (ainda bem para ela), mas foi isto. 

Nunca tinha experimentado receber uma massagem (só uma quando tinha 15 anos e correu muito mal porque me tinha depilado imediatamente antes a seco com uma gilette e os creminhos fizeram-me querer falecer), mas isto foi algo além. 

Senti como se a massagem fizesse muito mais além de me relaxar naquele momento. Senti que, com os movimentos e com as pressões e os toques, também fui permitindo que coisas negativas fossem escapando, deixando-me mais leve, mais tranquila. 

Por não poder ter acesso ao telemóvel, por não poder ter acesso a nada, sinto que tive acesso a mim própria (ahah é verdade, sei que parece que pirei de vez, mas não!). Isto enquanto sentia uma massagem que foi uma senhora massagem. Recebi um tratamento de depuração do organismo com pedras de Sal natural dos Himalaias aquecidas no Alegria Wellness Center e, além de recomendar, tenho 5 massagens para oferecer!

Tau! Assim do nada! Post que parecia ser sobre sexo amoroso... passa a ser uma prenda do catano para vocês, suas sacaninhas! 


Toca a aproveitar e deixar que alguém vos massaje esses lombos convenientemente sem segundas intenções (ao contrário dos nossos respectivos) porque vocês merecem e vão sentir tudo isto que eu senti. 

O que têm de fazer? Simples. 

1 - Comentem o post do Facebook "Fiz amor com uma mulher" com a frase "também quero o meu lombinho massajado".

2- Partilhem publicamente o post original no vosso facebook pessoal 

3 - Façam um like na página do Alegria Wellness Center e no d'a Mãe é que sabe.

As participações só serão válidas até às 23h59 de sexta-feira, revelarei em breve os vencedores (por random.org) e como comentário ao respectivo post no Facebook, mencionado os participantes, ok? ;)

Quando forem, fiquem para o chá no final e para as bolachinhas na sala do relaxamento, valeu a pena... 

Fiz e hei-de fazer de novo.

Não era para ter escrito este post. Ser solidário e escarrapachar isso pode parecer, aos olhos dos outros, um bocadinho show off. E, na verdade, fi-lo porque me apeteceu e achei que seria o certo a fazer. E porque ajudar os outros - por pouco que seja - dá um prazer do caraças. 

Bem, vamos do princípio. Há uns tempos, reuni os amigos e fizemos o babyshower da Luísa (podem ver o post da festa aqui).



Como vou experimentar, nos primeiros tempos (excepto nos dias em que estivermos na Maternidade), as fraldas reutilizáveis (da Mita) e como, graças a Deus, não passamos necessidades, lembrei-me de propor aos meus amigos que, em vez de levarem fraldas, produtos de higiene ou presentes para a Luísa, levassem antes pacotes de vários tamanhos e toalhitas (ou cremes ou papas, o que quisessem) para doar a uma instituição. Foi bonito de se ver, os amigos gostaram da ideia e aderiram! Escolhi a Ajuda de Mãe, em Santarém, e lá fui eu, de coração cheio, entregar as coisinhas.

Por que é que entretanto mudei de ideias e resolvi falar sobre isto? Porque pensei que a ideia era boa e que poderia inspirar outras pessoas a fazerem o mesmo. Apenas isso. Se gostarem da sugestão, tentem perceber quais as instituições perto de vossa casa que possam estar a precisar mais de ajuda (ou às vezes até um vizinho ou alguém mesmo ao nosso lado...).

Entretanto deixo-vos com mais imagens daquelas horas boas, passadas entre amigos.


O meu mano Frederico

Os 3. Os 4. Os 5, que a Irene também aparece!

Ternurinha

A partener mais gira

Andam aí a insinuar coisas...

Beeeeem... Não estava a contar com tantos fotógrafos e paparazzi ;)

O emplastro, que calha ser o padrinho da Isabel e o meu melhor amigo.

Apanhados super desprevenidos

A testarem os meus abs.

A Luisinha a ser mimada. Obrigada Lolla Kids pelo carinho <3


Patinho do banho original

  Espaço -  Mom and Me 
Decoração - Momentos com Design  
Bolo e doces - Caramelo Encantado

terça-feira, 24 de maio de 2016

a Mãe é cabaz de tudo - Dia da Criança!

Pois é, vem aí o Dia da Criança e nós, como grandes mãos largas que somos, queremos presentear os vossos filhotes (só um, que isto também não pode ser assim tudo à grande e à francesa) com um Cabaz de presentes.

Sim, a Mãe volta a ser Cabaz de tudo! Isto vai parecer a montra do Preço Certo, preparem-se!

Tchan tchan tchan!!!

A Marydoll não só tem um poster - já com moldura, em A4 - para oferecer, como ainda acrescentou ao cabaz uns Deco Stickers.




Para ajudar na tarefa de andar sempre com a casa às costas, temos uma mochila gira da Su and Kids Tuc-Tuc para oferecer. Podem escolher entre estas três:





Desta marca giríssima, a Tsuru, poderão optar entre as jardineiras Caparica e os calções Amorosa (ao vivo são ainda mais lindos!).




Um par de sapatos de qualidade made in Portugal dá sempre jeito, por isso da Trutué vão ter quatro opções para escolha: carneira de franja, carneira de velcro, carneira de botão ou feijão (eu já sei quais escolheria!).




Da Branco & Alecrim podem esperar uns lençóis queridos e personalizados para o berço, cama de grades ou de solteiro do vosso rebento.



Para a princesa ou para o príncipe aí de casa, sai um colar Principessa, à vossa escolha. E para a Mãe não ficar de mãozinhas a abanar, também poderá escolher um colar destes para usar com o(a) filhote(a).

 

A Catavento, uma das lojas mais giras de Santarém, vai presentear-vos com um jogo de memória, de madeira, da Capuchinho Vermelho.



A Marcador vai oferecer um livro -  A Viagem de Peludim -, que aborda aquelas questões mais difíceis "de onde vim?" ou "como nasci?", promovendo a igualdade de género e o respeito pela diferença. Mesmo que os vossos filhotes sejam pequeninos, como as nossas, fica já na biblioteca para daqui a uns aninhos.



E porque um passeio em família é dos presentes mais inesquecíveis que lhes podemos dar, vamos ter ainda quatro bilhetes (crianças e/ou adultos) para o Jardim Zoológico de Lisboa.



O que fazer para participar? 
1) Um like em cada página dos nossos parceiros: 
- atenção que já deitamos o Facebook abaixo uma vez com um cabaz, por isso, verifiquem antes do final do passatempo se os vossos likes se mantêm!



 

 

2) Partilhar o post do passatempo no Facebook publicamente, no perfil pessoal.
3) Identificar três amigos(as) no post original do Facebook.

Este post:




Identificaram os três amigos/amigas no post original? Só podem participar UMA vez.

As participações serão válidas até às 23h59 de dia 31 de maio de 2016. 

O vencedor será escolhido através de random.org. e será anunciado no dia seguinte. Deverá contactar-nos por e-mail para amaeequesabeblog@gmail.com. 
Iremos pô-lo em contacto com todas as marcas do cabaz, que irão agilizar o processo directamente com o sortudo ou sortuda.


Boa sorte!

Já começou mal o dia e quem paga são vocês!

Olá. Sim. Bom Dia. 'Tá bem.
Estou super enervada.

Lembram-se de termos feito um passatempo em que vos iria oferecer 10 livros? Pronto. Vão receber os livrinhos, não comecem já a entrar em modo de "reclamação na loja depois da senhora ter dito que não aceitam devoluções". 

Até vos mostrei que estava a tratar disso ontem com esta foto:


                             

Ontem estive meia hora nos Correios do Colombo numa fila com 45 velhotes a perguntarem pelos certificados de Aforro e para desabafarem das mais-valias de se usar fotocopiadoras. Isto para comprar envelopinhos bonitos para vocês. No total gastei quase dois pares de calças aceitáveis, mas em dinheiro. 

Ontem, para "adiantar trabalho", decidi escrever as vossas moradas no destinatário e a minha no remetente e hoje seria só assinar os livros e enviar. Acham que devo assinar? Se calhar querem oferecer a alguém e assim não podem! É que vai mesmo assinado e com o vosso nome para não se armarem em forretas.

Envelopes escritos, hoje de manhã enfio o primeiro livro dentro de um envelope... só que não! E porquê? PORQUE A PORCARIA DO LIVRO NÃO CABE NO ENVELOPE, CARAÇAS!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! E já estão escritos!

Agora estou, mesmo a quem não é fina, a cortar os plasticozinho de dentro todo para ver se a porcaria do livro cabe. E coube... mas o envelope ficou com este aspecto:




Desculpa Clara Gonçalves, mas olha... amanha-te! E um dos cantos vai com fita-cola também. Espero que as pessoas dos correios não se armem em mariquinhas com o aspecto do envelope e com o canto em fita-cola que hoje começo logo uma peixeirada.

Ah! E fiquei tão irritada que a coitadinha da Gisela Alves leva com um envelope em bom estado, mas sem o livro estar assinado! Desculpa, Gisela. Estava tão furiosa a ver se ia lá à força que me esqueci de assinar. Vê pelo lado positivo: tu podes oferecer a alguém!

Filhinhas, da próxima vez que houver um passatempo ou vai a maria-tenho-duas-filhas-porque-sou-muito-desenrascada ou vocês vêm cá a casa, trazem um envelope onde caiba a porcaria do livro e eu vou meter no correio (podia ter-vos dado o livro logo quando me traziam o envelope, podia).
Um vídeo publicado por a Mãe é que sabe (@amaeequesabe) a


Adeus.

Bom dia. 

segunda-feira, 23 de maio de 2016

Tenho de crescer um bocadinho.

Advertisement
*Sinto que entrei um pouco nisto da vida adulta à toa. Não dei pelo momento do "salto" (a não ser agora na maternidade). De um momento para o outro, além de ter de por roupa a lavar e secar, de ter de pensar no que descongelar para o dia seguinte, tenho de tomar decisões de grande importância que ninguém pode tomar por mim. 

Agora tenho de tomar decisões sobre a saúde da minha filha. Repito análises de sangue? Vamos pedir uma segunda opinião? Confio neste pediatra? 

A vida vai-nos preparando para irmos conseguindo enfrentar o peso destas decisões, mas nem por isso. Ainda estou naquela fase da vida em que acho que "só acontece aos outros". Uma espécie de imunidade adolescente imbecil de quem ainda precisa de ver mais de falar mais e de ouvir mais. 

Infelizmente este ano uma grande amiga minha foi diagnosticada com um cancro da mama (está óptima agora, ufa). E isso fez-me repensar. Fez-me repensar no quanto a vida pode mudar todas as prioridades se, de repente, entrar um grande peso para a balança e, ainda por cima, uma variável perfeitamente incontrolável. Todas as situações de doenças graves são horríveis para todos os envolvidos e, por isso, tudo o que ajudar, tudo o que facilitar/aliviar nessas alturas é bem-vindo. 

Acho que ter uma atitude profilática faz parte de uma espécie de amadurecimento. Não devemos tentar remediar ou tentar inverter situações quando estas já cá estão. Devemos precaver-nos, evitá-las, afastá-las e, até, ir mais longe e elaborar um plano b para caso cheguem mesmo a existir. Não devemos viver no pânico, devemos viver concentrados na felicidade, mas se não nos protegermos, a quem podemos pedir que o faça? 

Eu não tenho um seguro de vida. Devia? 

(bater três vezes na madeira)

Segundo estou a ler: garante um capital caso a pessoa segura (neste caso, eu) faleça. Ou até, nalgumas coberturas, um capital em casos de doenças graves ou invalidez. 

Isto significaria que a Irene e o Frederico teriam uma ajuda extra num momento que seria mais apertado a nível financeiro (custa mesmo pensar nestas coisas, caramba). Ter um seguro ajudaria a que não se corresse risco de endividamento para cobrir as necessidades em causa, visto que além de terem as despesas da minha situação, as outras também continuariam a surgir e com menos uma pessoa a contribuir para o "bolo familiar". 

Nós os três. A família Pombares por Susana Cabaço Fotografia.


O caso do seguro NETVIDA, da MAPFRE, é esse mesmo, engloba também doenças graves ou invalidez, ou seja tem coberturas que também podem ser gozadas em vida. E com a vantagem de o poder fazer totalmente online. 

Acho que a postura aqui é um bocado pensar "e se?" e de que maneira não sobrecarregar a família com as "réplicas" do acidente, Nem consigo imaginar o desgosto, os pedacinhos de coração que se tem de apanhar (ou de ignorar que se perderam) depois da perda de um cônjuge... Claro que isto não resolve a dor, mas talvez dê mais espaço e silêncio para um começo de luto mais sossegado ou de uma adaptação um pouco menos turbulenta a um novo cenário familiar, rumo a um novo equilíbrio, à homeostasia (é uma palavra cara que aprendi na faculdade e que dá imenso jeito). 

Estou a levantar o queixo, semicerrar os olhos para focar melhor e tentar ver mais longe, além do presente. 

O que sentem vocês? 



*post escrito em parceria com a agência de comunicação. 

Casava-me já.


Adoro casamentos. O ritual, as juras de amor, a festa, a partilha. Claro que não acho que estar casado, os papéis, o contrato, tenha peso numa relação e claro que sou muito feliz sem estar casada e continuaria (continuarei) a sê-lo. Mas, romântica incorrigível, tenho esse sonho, desde miúda. Talvez desde as brincadeiras na escola primária (apesar de não me ter casado com o noivo que eu queria... hehehe). E, estando eu a viver a maior história de amor que poderia viver (e agradeço todos os dias o homem que apareceu na minha vida e com quem estou a construir uma família maravilhosa), acho que faz ainda mais sentido celebrar, com aqueles que nos rodeiam, este AMOR. E vim do casamento lindo de sábado com essa vontade ainda mais refinada... Não estão bem a ver o momento em que a noiva dedicou um texto ao marido... que choradeira!

Apesar de adorar mil vestidos de noiva e de me imaginar uma princesa com alguns bem clássicos, até poderia ser com um daqueles compridos rendados da Zara. Flores do campo espalhadas em frasquinhos de vidro. Sangria, bolos de camadas e salgadinhos. Crianças a correrem por todo o lado. Dançar até a sola dos pés ficar preta. Ter a Isabelinha e a Luísa no nosso colo, às gargalhadas, ao som de uma música qualquer. Os amigos, enfrascados, a dizerem babosices. O meu pai a chorar baba e ranho. 

Não preciso de mesas enfeitadas com pratos de porcelana não sei do quê nem copos de cristal. Fogo de artifício nem sapatos de seda. Entrada num carro de alta cilindrada nem lua de mel numa ilha paradisíaca.

Mas preciso de algum dinheirinho, porque sei que - mesmo dispensando muitas coisas - acaba sempre por ficar carote, verdade? Como geriram tudo? Querem dar ideias para "poupar"?

domingo, 22 de maio de 2016

Casamento às 37 semanas e tal?

Quando há uns meses soube que o casamento de uma amiga muito especial seria a 21 de maio e fiz as contas, achei muito improvável que conseguisse ir. "37 semanas e tal? Uhmmm, não me parece, mas...". Sem mas. Dancei como se não houvesse amanhã, brinquei com a filha, senti-me muito bem (levei sandálias rasas, óbvio), sem desconfortos. Aliás, esta gravidez foi de sonho. Tirando aquele domingo, não tive dores. Durmo bem (quando a Isabel deixa, claro hehe), não tenho feito grandes piscinas até à casa de banho durante a noite, não tenho ciática, não tenho azia, não inchei, ganhei 9kgs até agora, consigo pegar na boa na Isabel ao colo, faço caminhadas, faço amor, ando feliz da vida, nada ansiosa... o que mais se pode pedir? 

Passámos a noite num quarto numas casinhas amorosas da quinta, também pelo conforto de ter ali uma cama à disposição durante a tarde para descansar, mas nem foi preciso. Tanto eu como a Isabel andámos sempre na boa (ela adormeceu no carrinho às 20h e ali dormiu umas horinhas no meio da confusão, antes de regressarmos ao quarto). Acordou às 7h30 e a primeira coisa que disse foi: "casa da festa!!!". "Menina Béu dormiu na cama do pai e da mãe!". 

Foi um casamento de sonho, emocionante, num sítio lindo, com pormenores deliciosos, com muitos jogos e brincadeiras para as crianças... Aproveitámos cada instante. Um dia caso eu.

A decorar o cabelo da mãe com florezinhas


Compenetrada a tentar fazer bolinhas de sabão



Não, a noiva não caiu :) Só de amores.

A deixá-la ganhar. Quem não fez isto pelo menos uma vez? :)







Três fotos seguidas do cabeluxo? Totalmente ao acaso. Hehe Está giro, não está?

Ainda fico emocionada quando vejo o nome da minha filha. Existe, é uma pessoa e tem lugar marcado na mesa.

Um dos mil pormenores lindos deste casamento


Isabel
Vestido e laço: CutxiCutxi
Meias: Zara
Sapatos: Sapataria Vassalo

Mãe
Macacão: Zara
Cabelo e makeup (adorei!): CutbyKate




Sigam-nos no instagram @aMaeequesabe
E a mim também;) @JoanaPaixaoBras